728 x 90

Dia Mundial do Combate ao Câncer, 4 de fevereiro, alerta para prevenção da doença

img
A doença do século XXl

O Inca cita a ocorrência de cerca de 600 mil casos novos de câncer no Brasil entre 2016 e 2017

 

Cigarro, sedentarismo, má alimentação e poluição estão entre os principais fatores de risco para o surgimento de tumores. Estimativa do Instituto Nacional do Câncer (Inca) aponta a ocorrência de cerca de 600 mil casos novos de câncer no Brasil entre 2016 e 2017, dos quais cerca de 180 mil foram de pele não-melanoma, 61 mil cânceres de próstata em homens e 58 mil casos de câncer de mama em mulheres. O câncer é a segunda causa de morte no mundo.

 

No dia 4 de fevereiro se comemora o Dia Mundial de Combate ao Câncer. Criada pela União Internacional de Controle do Câncer (UICC), a data visa mobilizar pessoas e organizações mundiais para reforçar a importância de adoção de hábitos saudáveis, atitudes de prevenção, diagnóstico precoce e tratamento, fundamentais para o controle da doença.

 

Segundo o oncologista do Hospital Felício Rocho, Dr. Alexandre Ribas, o Hospital pensando em facilitar a vida do paciente com câncer, projetou o seu Instituto de Oncologia após um trabalho intenso de pesquisa e observação em diversos centros de oncologia do país e do exterior. O Instituto de Oncologia foi desenvolvido com uma proposta diferenciada de atendimento, apresentando modernas instalações, tecnologia de ponta e integração com toda a equipe clínica do Felício Rocho.

O Dr. Alexandre ressalta que inaugurado em 2013, o Instituto tem capacidade de atender 4.000 consultas por mês e 280 tratamentos por dia, onde já se passaram mais de 30.000 pacientes. Todo paciente que finaliza o tratamento, toca o “Sino da Vitória” em comemoração à essa etapa vencida, sendo então um momento muito especial para a equipe e paciente. O badalar do sino desperta também nos outros pacientes o sentimento de esperança e confiança de que o seu término de tratamento também chegará.

 

No Instituto, os pacientes também podem contar com a tecnologia da touca de resfriamento do couro cabeludo, que pode prevenir ou reduzir a queda de cabelos em pacientes submetidos a tratamento quimioterápico. Os resultados desse tratamento têm contribuído para a melhoria na autoestima, autoconfiança e preservação da autoimagem, assim como, proporciona uma visão mais positiva em relação ao tratamento.

 

Além de toda a retaguarda hospitalar, o Instituto de Oncologia oferece toda a privacidade e conforto necessários para que os pacientes possam realizar o tratamento completo.

 

A multidisciplinaridade do corpo clínico do Instituto é também característica da unidade. Além de um corpo clínico composto por especialistas em oncologia, hematologia, mastologia, cirurgia de cabeça e pescoço, cirurgia torácica, cirurgia geral, ginecologia, coloproctologia, urologia, clínica da dor e nutrologia, o paciente terá atendimento de profissionais de diversas áreas como fisioterapia, fonaudiologia, nutrição, odontologia, psicologia e outras 25 especialidades que hoje atendem no Hospital Felício Rocho.

 

Sobre o Hospital Felício Rocho

 

Em Minas e no Brasil, o Hospital Felício Rocho é uma referência no trato à saúde. Conta com um corpo médico e de enfermagem de excelência, que nada ficam a dever aos de outros centros médicos, dado o seu alto nível de profissionalização e especialização.

 

O Hospital observa com rigor as premissas do Ministério da Saúde, através de atendimentos ambulatoriais – consultas, exames e terapias.

 

Ao longo de sua existência, o Hospital Felício Rocho vem incorporando, de forma contínua e permanente, novas tecnologias e modernos equipamentos para as mais diversas aplicações, essenciais para o atendimento à saúde e para salvar vidas, principalmente nas questões relativas à Alta Complexidade.

 

Outras notícias

Apoio