728 x 90

Através do projeto SEJA UM HERÓI ,SALVE VIDAS,jovem fez doação de medula óssea

  • Em Matérias
  • 12/06/2017
  • Por Daniela Trombeta Dias Correa
img
Herói da vida real !

Quando plantamos uma semente em um vaso, temos uma planta. Quando plantamos várias sementes em um local espaçoso, temos um jardim, o qual proporcionará beleza e satisfação a quem olha, gerando a vontade de que haja mais locais assim. E, para manter um jardim, não basta cuidar, é preciso que sementes nunca deixem de ser plantadas, regadas e cuidadas, e é este o objetivo do projeto “          SEJA UM HERÓI, SALVE VIDAS”:  não apenas colher uma ou duas doações ou cadastros, é preciso espalhar que há uma forma  de florir mais vidas, ajudando  o  próximo.  Em 5 anos de projeto, milhares de pessoas doaram sangue abastecendo o estoque do Hemocentro de Fernandópolis, destas, centenas continuam voltando a cada seis meses para continuar essa ação tão importante.

Muito além da doação de sangue, também através do projeto e sendo seu principal objetivo, acontece o cadastramento de milhares de pessoas como possíveis doadores de medula óssea. Hoje, a cada 100 mil pessoas, uma apenas é compatível com algum paciente que precisa de um transplante de medula e quando chega à notícia de que uma pessoa é compatível com um paciente, é preciso comemorar e nunca esquecer que sempre há esperança. E foi assim que   Rodrigo Ferreira de Oliveira, de 28 anos, natural de SP, e atual morador de Guarani D’Oeste, se tornou a esperança de um paciente, a esperança de uma família, de uma vida há anos.

Rodrigo conta que já doava sangue regularmente no Hemocentro de Fernandópolis quando ficou sabendo do projeto “                SEJA UM HERÓI, SALVE VIDAS”, e do cadastramento de medula. “         Foi no Hemocentro que fiquei sabendo da história do João Pedro e do seu pai, Claudio e foi através do projeto que fiz o cadastramento para doador de medula me disponibilizando a ir mais além que doar sangue, mas nunca imaginei que poderia ser compatível com alguém, já que é muito difícil”, afirmou ele.

Ele contou que na época estava desempregado e o pai tinha acabado de descobrir um câncer. “Minha cabeça estava cheia de preocupações e  estava sendo um momento muito complicado para mim quando recebi uma ligação do Redome do RJ dizendo que eu poderia ser compatível com uma pessoa que precisava de um transplante. Eles perguntaram se eu queria ir em frente com os exames de compatibilidade e na hora eu aceitei. Foi uma alegria saber que eu poderia ajudar”, contou.

O transplante de medula seria um dos tratamentos indicados para o tratamento do câncer (mieloma múltiplo) do pai de Rodrigo caso ele fosse mais jovem, porém o mesmo faleceu há 9 meses. “Minha vontade de ajudar fez com que eu entrasse de cabeça e aceitasse fazer a doação ao paciente. Eu fiz o procedimento de doação e comigo foi tudo bem e espero que tenha dado certo para o paciente também, pois infelizmente uma das regras é não saber para quem foi a medula, mas torço para que tenha tudo certo para ele também e que tenha se recuperado e aproveitado a nova chance que Deus deu”.

Rodrigo enfatizou a importância do projeto. “Para as pessoas que querem ajudar o próximo, mas tem alguém receio, digo que vale a pena, é sempre válido. Fazer o cadastro não custa nada, é rápido e indolor e o melhor é pensar que ao fazê-lo, tem se a oportunidade de para quem sabe, um dia, salvar uma vida e não há nada melhor que isso e doando sangue a ajuda já é imediata considerando que o Hemocentro sempre atua no vermelho”, finalizou.

O mundo, com certeza será um lugar melhor com mais e mais pessoas plantando sementes do bem; fazendo dele um belo jardim; com mais pessoas pensando no próximo, com mais heróis; SEJA UM HERÓI, SALVE VIDAS.

Outras notícias

Apoio